Summer Academy – A Jornada

por: Thor Amorim   March 23, 2015 15:00 em Behind the Scenes

Olá, sou um dos novos estagiários da VTEX e venho contar minha experiência no Summer Academy, o programa de estágio de verão que me proporcionou diversas oportunidades de aprendizado e serviu de ingresso para o estágio regular da empresa.

thor-jornada


Ingresso

Tomei conhecimento sobre o Summer Academy através de uma postagem em um grupo do Facebook de JavaScript. Já tinha ouvido falar do nome da VTEX mas não tinha conhecimento da cultura da empresa, apenas alguma noção do peso dela no mundo do e-commerce.

Ao ler a descrição da oportunidade fiquei maravilhado, parecia estar extremamente próximo com o que acredito e com o que eu gostaria de aprender e exercer. Me apliquei para a vaga de Front-end Developer e após um pouco menos de um mês recebi um e-mail de interesse em minha aplicação.

Na entrevista, fui conduzido por duas pessoas da área na qual atuaria e nem é necessário dizer que a ansiedade e o nervosismo bateram em minha porta. Apesar desses dois pequenos vilões, os entrevistadores foram eficientes em me fazer sentir confortável e senti um espaço generoso para qualquer dúvida ou curiosidade. Esse dia serviu para confirmar boa parte de minhas expectativas, queria fazer parte daquele mundo também. Foi uma bela surpresa ser chamado em menos de uma semana.

Admirável Mundo Novo

Ao chegar no VTEX Lab, fui conhecendo meus companheiros de Summer Academy a medida que cada um chegava. Após isso, durante cerca de uma semana fomos apresentados à VTEX formalmente e tivemos diversas apresentações, tanto das equipes sobre os projetos e módulos da empresa, quanto sobre tecnologias e boas práticas utilizadas.

summer-academy-brainstorm

Posteriormente nos juntamos para propor ideias, sugerir algo que acrescentaria valor à VTEX. Foram dois dias intensos de brainstorm que resultaram em um quadro totalmente preenchido, e parte de uma divisória de vidro. Depois de uma seleção das ideias mais proveitosas para o Summer Academy, restaram cinco. A base de votação, duas iriam virar projeto, cada uma designada a uma equipe que seria formada por afinidade ao projeto escolhido. Éramos oito estagiários no Summer Academy, então seria natural que cada grupo tivessem quatro membros, com a seguinte composição: um que se responsabilizaria pela parte de UX, um para Front-end e dois para a parte de Back-end.

Dentre todas as ideias, a de compra recorrente foi a que mais tive interesse. A compra recorrente consiste em solucionar o problema de todo período o cliente ter que comprar os mesmos produtos na loja, passar pelo mesmo processo em intervalos bem definidos em sua necessidade. Aconteceria da seguinte forma, o cliente adiciona o produto desejado ao carrinho e uma vez lá, informa no carrinho sua vontade de cadastrar uma recorrência para aquele produto, escolhendo o período desejado e pronto! Ele receberia esse produto no intervalo desejado, sem se preocupar em ir ao site e passar pela experiência de compra novamente. Nos foi informado também o nível de interesse de diversos lojistas nesse recurso e alguns que tinham como condição de ingresso à plataforma a implementação da compra recorrente. Diante da importância e peso da ideia tanto para os lojistas como para os clientes dos lojistas, cada vez mais pareceu uma ótima ideia ter participação em um projeto que acrescentaria tanto valor e teria um impacto significativo na plataforma.

Após as votações ficou claro que não fui o único a ter interesse na ideia, um grupo tomava forma. Estava certo, seria Front-end Developer no projeto de compra recorrente, a largada estava dada.

O Caminho

No começo estávamos levemente atordoados. Existiam diversos módulos e era difícil imaginar onde começar. Após uma série de reuniões e conversas com mentores e pessoas responsáveis por módulos que eram de interesse ao projeto, tudo foi tomando forma. Essa foi uma fase extremamente importante para todo nosso grupo, a abertura de todos os funcionários para nossas dúvidas, seu interesse e apoio ao projeto foi essencial para conhecer certas entranhas da plataforma e tomar nossas decisões com fundamento.

As duas primeiras semanas foram tomadas, em sua maior parte, por aprendizado das tecnologias que usaríamos no projeto. Observei os repositórios dos módulos que eu iria trabalhar e fiz uma espécie de lista mental sobre o que eu deveria aprender. Comecei com CoffeeScript, que foi agradabilíssimo de aprender até no início da curva de aprendizado e sinceramente não me imagino deixando de usá-lo tão cedo. Depois vieram Knockout e AngularJS, ambos Frameworks para Single Page Applications. Esses dois últimos foram mais complexos de absorver de início, principalmente o AngularJS, mas os módulos eram bem organizados então pude seguir as pegadas deixadas por outros desenvolvedores. Além disso, também aprendi a usar Git, uma ferramenta de versionamento indispensável para qualquer desenvolvedor.

As semanas restantes foram ocupadas por trabalho duro e decisões difíceis. Tendo adquirido os fundamentos das tecnologias que usaria, agora era hora de botar a mão na massa e aprender com o exemplo de códigos já existentes. Meu trabalho foi adicionar a visão de uma recorrência aos módulos necessários da plataforma. Para isso, tive de conhecer não só os módulos de Front-end que trabalharia, mas também certos comportamentos das APIs que faria uso. Isso levou a uma série de reconsiderações no projeto no meio do caminho, para que pudéssemos fazer o projeto com o mínimo de interferência possível em outros módulos (uma outra camada do desafio).

Foi surpreendente a sinergia que encontramos em nosso grupo, ter um objetivo em comum com todos dedicados a cumprí-lo foi fundamental para isso. Era nosso projeto, cuidamos dele como se fosse nosso filho.

Reta Final

A semana final foi extremamente tensa, povoada por ansiedade e muita correria. Estávamos todos preocupados com a conclusão do projeto, a apresentação e a satisfação de todos com ele. Existia também o feedback final dos mentores do projeto, que também pesou muito na ansiedade. Era um coquetel de emoções muito fortes.

Trabalhamos bastante e nossos esforços surpreenderam a nós mesmos. Entretanto, contratempos sempre surgem na hora de urgência e nesse caso não foi diferente, apesar disso estávamos em paz. O projeto não estava completo como gostaríamos, mas percebemos que levando em consideração o tamanho do projeto e o tempo do Summer Academy, nossas realizações nos satisfaziam e realmente nossa partição foi por inteiro, não houve hesitação.

Chegou então a hora final, o feedback dos mentores e, por consequência, a permanência ou não no programa de estágio regular da VTEX. Fui chamado para a sala de reunião, a ansiedade retorcendo o estômago e os ombros carregando pesos invisíveis enormes. Fiquei extremamente aliviado, grato, feliz e mais uma porção de sentimentos mistos ao ter como primeira notícia o interesse de minha permanência, meu suspiro me fez com que eu me sentisse mais humano e menos como Atlas.


Continuo atuando no projeto de compra recorrente e os desafios não cessaram. Apresentaremos o projeto no VTEX Developer Day e teremos um preview para os presentes! Inscreva-se aqui.

O Summer Academy foi uma experiência e tanto. Aprendi muito em tantos aspectos diferentes que é difícil colocar tudo em palavras. Encorajo a todos os interessados a se aplicarem no próximo programa de estágio, você fará parte de algo engrandecedor.

Gostou? Estamos contratando!